Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alinhavo de poesias

Alinhavo de poesias

26
Nov18

Na vertigem do azul...

Filomena

Na vertigem do azul 

sustento o voo silábico 

da génese pronunciada 

das palavras 

e acordo fadas e anjos 

para esse alvorecer único 

num desígnio do amor 

que reconstruo da água 

e do seu aroma de sal 

para viver a carícia 

da pele sobre a pele 

e me enrolar 

no definitivo ardor da vida 

numa primícia que sacia 

a lembrança 

de dois corpos apaixonados 

dançando a música das tulipas 

e refrescando-se 

na ingenuidade e beleza 

de se pertencerem 

até ao último dos seus dias 

unidos pelo um elo 

humanamente divino ...

25
Nov18

No traço do poema ...

Filomena

No traço do poema 

desdobro as caras do Outono 

hoje trovejado duma chuva miúda 

e sulcado pelo corolário das brisas 

ensopando o tronco das árvores 

e sorrindo no cair da folha 

bailando sem um porquê 

que o tempo não contabiliza 

e evadindo-se 

num bafejado sopro de ar 

para o céu cinzento e claro  ...

E num dedo de encanto 

às vezes esgrime-se o azul 

e as figuras das pesadas nuvens 

de cores mistas 

do branco ao escuro cinzento 

ao madrepérola 

debroando as costas do mar 

num eterno engenho 

até à progressão para um embaciado 

e nublado céu 

cruzando as paisagens  ...

Só as gaivotas 

nos seus planares 

aqui sonham a liberdade de existir 

levando-nos com elas 

para o desafio de intuir 

a criatividade inteligente 

desse abrir do coração e da alma 

às naturais linguagens da criação divina ...

24
Nov18

O meu amor ...

Filomena

Hoje fui gozar o dia com o meu amor 

respirámos fundo o azul 

e fomos por aí ,

apreciar o verde dos relvados 

os arvoredos ,

o canto dos passarinhos  ,

o sol 

que tudo abre 

e nos faz transpirar liberdade 

alegria  ,sã disposição  ,

fomos por aí 

descobrir algures 

o sonho de ser gaivota 

e despertar para o imenso 

numa visão priveligiada do mundo ,

e depois  ,

depois poisar na berma da vida 

e meditar as coisas de Deus 

num incessante terço orante 

por nós e pelas crianças do mundo  ...

24
Nov18

O raio de sol ...

Filomena

O raio de sol 

abre-se sob o céu 

e luz e reluz 

no encontro com cada ramagem 

berço de menino 

que a mãe embala 

janela íntima da casa da alma 

figurinha de presépio 

bola de Natal 

num sono sonhado acordado 

para descobrir histórias 

do menino Deus 

hoje presente nas nossas crianças 

que vibram com Ele 

e se enternecem com a sua visita 

distraindo-se com a alegria 

dos que à sua volta cirandam 

numa festa de velhos tontos 

de se lhes tirar o chapéu ...

Crianças de estrelinha no coração 

vivenciando os sabores 

que preparam a época natalícia ...

24
Nov18

Hoje meu Deus...

Filomena

Hoje meu Deus 

disseste-me que era necessário 

ousarmos ser simples  ,

de Ti aprendo todos os dias 

o sorriso da flor 

o canto do pássaro 

o abrir da manhã 

a doce paisagem 

o mar 

o meu próximo 

e leio em tudo 

a simplicidade 

da Tua amorosa presença  ,

Bem hajas por isso 

e por nos ensinares 

essa forma desprendida 

e clara de Ser 

todos os dias  ...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D